21 de novembro de 2013

Vêm aí exames para tudo o que mexe

Obviamente que os professores do quadro também vão ser submetidos a exame para entrar na carreira, como os novatos. Não é que isso faça muito sentido, mas que sentido precisamos nós de descobrir, naquilo que o não tem, para justificar as medidas governamentais? Aliás, as coisas sem sentido estão na base da criação do universo e na sua manutenção técnica. Os deuses têm sentido? A vida? o casamento? a cerveja sem álcool? os preservativos com canela? (ops, isto tem sentido, sim, e creio que deve ser sentido único). Mas, para além dele, do preservativo acanelado, nada mais tem sentido debaixo do sol, e ninguém me dissuade de pensar que mesmo o próprio sol não seria tão desejado se nunca tivesse existido.

É, portanto, fácil partir para um decreto regulamentar que aposta na extirpação de vinte euros aos professores. Há um sem número de vozes a aplaudir uma medida que, mesmo sendo estúpida, ajuda a calar algumas bocas desaforadas. Lembrei-me agora que 20 euros roubados a cada professor, básico ou superior, ignorante ou catedrático, ou seja, mais ou menos ignorante, (com exame ou sem exame, já que isso é completamente indiferente) renderão dois milhões de euros, a contar por baixo. É, nós ainda somos 100000, se contarmos com os idiotas que estão fora do sistema de ensino mas mantêm o desejo insano de regressar.

Não será muito o que se arrecada com vinte euros pelo exame de acesso à carreira, é certo, mas podemos com eles calar a boca a uns poucos de generais, mortinhos por voltar a afiar as facas e derrubar o que resta deste governo trôpego. Se tirarmos uns tostões à horda de professores que se arrasta por aí poderemos redireccionar a fúria dos militares a contento de muitos dos lacaios do neoliberalismo financista.

Está certo que um exame de acesso a uma carreira onde as pessoas já se encontram configura, naturalmente, uma atitude esquizofrénica. Mas eu não me lembro de ter vislumbrado uma única atitude política que não tivesse sido esquizofrénica, nos últimos dez anos das nossas vidas...

     Post 12        (imagem domínio público)

5 comentários:

Faty Laouini disse...

Já tinha saudades dos teus textos. Essa fina ironia... lúcido(s), sempre. É o delírio em série - não sai uma daquele ministério que realmente tenha qualquer lógica.
Bjs

Joaquim Pinto disse...

Obrigado João...
Eu pensava que estava a enlouquecer, mas afinal não estou só!

Anónimo disse...

Também já tinha saudades de ler os teus textos! Esquizofrenia ou bipolaridade, chamem-lhe o que quiserem, mas o essencial é exterminar a raça docente... Beijos Marla

Voualiejavolto disse...

Acabou?

Anónimo disse...

Voualiejavolto
Continua. Trôpego e pachorrento, mas continua...
o autor