19 de abril de 2013

O Excel está todo errado

Afinal, as políticas de austeridade estão erradas porque são baseadas num programa de Excel que apresenta um erro básico numa das suas fórmulas. Este programa que serviu de base a políticas restritivas aplicadas pelos governos dos países europeus com crescimento negativo, afirma que o crescimento económico desce abruptamente quando a dívida pública sobe acima dos 90 por cento. Como a dívida portuguesa ultrapassa 120 por cento do PIB, o programa de Excel prescreveu para Portugal uma austeridade sem precedentes, com o fim de inverter a queda íngreme do crescimento económico.

Ora, um doutorando de Massachusetts descobriu o grilo e afirma que dívidas acima dos 90 por cento não têm esse efeito catastrófico no crescimento económico. Trata-se de um erro básico que, pelos vistos, nenhum especialista em Excel tinha detectado até agora.

Este facto levou o autor do “sofalo” a desconfiar de que o Excel, para além deste erro, poderá apresentar muitos outros. De facto, o autor nunca percebeu a razão pela qual um aluno que não faz nada, não entrega trabalhos a tempo, não os entrega mesmo muitas vezes, não traz livro para a aula, não sabe ler e dá 80 erros ortográficos em 120 palavras ainda consegue um 10 na coluna final da grelha do Excel. Também não entende a razão pela qual ele próprio, que nunca falta a aula nenhuma, que cumpre escrupulosamente o programa e os horários de entrada e saída de todas as aulas, que explica de modo claro e idóneo todas as matérias, que aplica fichas e testes com moderação e parcimónia, que se disponibiliza para os seus alunos em todos os momentos da sua vida, na escola (em período pos-laboral) e fora dela (através de ferramentas de comunicação como o mail, o moodle, o blog, etc), que domina as tecnologias de informação desde 1990, que lê e reflecte sobre todas as problemáticas da educação, que cumpre a papelada toda apesar de a considerar um fardo desnecessário e imbecil, não conseguiu obter nota que se visse nem mesmo mudar de escalão apenas porque não fez nenhuma acção de formação nem foi às festas da escola e aos jantares de confraternização.

O Excel está errado. Onde está errado ele não sabe. Mas lá que está errado, lá isso está…

       Post 5           Imagem daqui

2 comentários:

Faty Laouini disse...

Acabei de postar no FB a passagem referente à avaliação na escola. Por razões óbvias, e acerca do que não é nada óbvio. :)

Anónimo disse...

Muito bom, mesmo! E o cartoon em alemão é do melhor! Marla